Petróleo que atingiu Nordeste é de outro país, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que o governo brasileiro já sabe que o petróleo que atingiu as praias do Nordeste não é produzido ou vendido no Brasil, mas a investigação para determinar sua origem ainda está em curso.

Depois de uma reunião com as Forças Armadas e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que participou por videoconferência de Aracaju, para onde foi fazer um sobrevoo das regiões atingidas, Bolsonaro disse ainda que o petróleo “não parece vir de uma plataforma” e pode ser criminoso ou de algum navio afundado.

“Pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. É complexo, existe a possibilidade, temos no radar um país que pode ser da origem do petróleo e continuamos trabalhando para dar uma satisfação à sociedade e também colaborar na questão ambiental”, disse o presidente.

Questionado sobre qual seria o país, não quis revelar e disse que a investigação continua.

Amazônia

Segundo o presidente, a reunião serviu também para dar um panorama da situação das queimadas na Amazônia e afirmou que a região deverá ter a menor média de queimadas para setembro desde o século passado e que isso foi uma resposta do governo ao Brasil e ao mundo.

Para Bolsonaro, as Forças Armadas atuaram no enfrentamento das queimadas na hora certa.

08/10/2019